17/09/2021

10 coisas que você precisa saber sobre a fibrose cística

Atingindo cerca de 70 mil pessoas em todo o mundo, a fibrose cística, também conhecida como Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose, é uma doença genética crônica que afeta principalmente os pulmões, o pâncreas e o sistema digestivo. 

Isso acontece porque um gene defeituoso e a proteína produzida por ele fazem com que o corpo produza muco de 30 a 60 vezes mais espesso que o usual, o que leva ao acúmulo de bactérias e germes nas vias respiratórias.

Esse muco também pode bloquear o sistema digestivo e o pâncreas, impedindo que enzimas digestivas cheguem ao intestino, mas o corpo precisa dessas enzimas para digerir e aproveitar os nutrientes dos alimentos. 

Desta forma, para auxiliar na digestão e na nutrição adequadas, portadores de fibrose cística frequentemente precisam repor essas enzimas por meio de medicamentos.

Os sintomas da doença estão ligados às consequências causadas pela secreção mais espessa, como secreção acumulada nos pulmões, problemas pancreáticos, dificuldade para ganhar peso e estatura, entre outros.

Em 5 de setembro é celebrado Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística. Para trazer mais informações sobre a doença, listamos, a seguir, 10 coisas que você precisa saber sobre a fibrose cística. Continue acompanhando a leitura!

  • A fibrose cística pode ser identificada no Teste do Pezinho, gratuito e obrigatório em todo o país, e diagnosticada por meio de exames genéticos ou do Teste do Suor.

 

  • Na maioria das vezes, os sintomas da fibrose cística aparecem na infância e a doença é diagnosticada cedo. Porém, também existem casos que não apresentam sintomas e acabam resultando em um diagnóstico tardio. 

 

  • Os principais sintomas são: sensação de falta de ar, tosse persistente, chiado ao respirar, dificuldade para respirar após exercício, sinusite crônica, pneumonias e bronquites frequentes, infecções pulmonares recorrentes, pele e olhos amarelados, formação de pólipos nasais, dificuldade para aumentar o peso, dores nas articulações e suor mais salgado.

 

  • A fibrose cística não é contagiosa, portanto, as pessoas diagnosticadas não transmitem a doença por meio do contato. A fibrose cística é uma doença genética, ou seja, a pessoa já nasce com a patologia. 

 

  • Trata-se de uma doença genética causada por mutações no gene CFTR, que desempenha papeis essenciais nas membranas celulares. Já foram descritas quase duas mil mutações diferentes no gene CFTR.

 

  • Estão sendo desenvolvidos novos medicamentos para tratar mutações ou classes de mutações específicas. Por isso, é importante fazer os testes para saber quais são as suas mutações em cada caso. 

 

  • A fibrose cística ainda não tem cura, mas, se diagnosticada precocemente, pode ser tratada, diminuindo bastante seus efeitos sobre o organismo, ajudando a aliviar os sintomas, evitando complicações e melhorando a qualidade de vida.

 

  • Todo o tratamento deve ter acompanhamento médico e especializado, e varia de acordo com a gravidade da doença e com a forma como ela se manifesta. Geralmente, é feito com o uso de medicamentos, fisioterapia respiratória e acompanhamento nutricional.

 

  • O acompanhamento nutricional é fundamental para que seja feita a complementação da dieta e o fortalecimento do sistema imunológico, combatendo infecções.

 

  • Quando a fibrose cística pulmonar causa problemas respiratórios graves, podendo colocar a vida da pessoa em risco, ou quando o portador da doença apresenta resistência aos antibióticos, pode ser indicado o transplante de pulmão. 

Você já conhecia essas informações? Gostou de saber mais sobre a fibrose cística? Aqui no blog há muitos outros conteúdos pelos quais você pode se interessar. Não deixe de acompanhar!

 

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade