25/11/2021

7 coisas que você precisa saber sobre bebês prematuros

No mundo todo, nascem, todos os anos, 15 milhões de crianças prematuras, ou seja, antes de completar 37 semanas de gestação. Uma gestação completa varia entre 37 e 42 semanas. 

 

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde (MS), a média é de 340 mil bebês prematuros por ano. Esses números colocam o país na 10ª posição dos que mais registram casos de prematuridade. 

 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a prematuridade está no topo da lista das causas de mortalidade infantil em todo o mundo. Para fazer um alerta e difundir informações sobre o assunto, 17 de novembro foi instituído como o Dia Mundial da Prematuridade.

 

Listamos, a seguir, 7 coisas que você precisa saber sobre bebês prematuros. Continue acompanhando o nosso conteúdo!

 

  • Vários fatores podem levar a um parto prematuro

O nascimento antes da hora pode estar associado a diversos fatores, como partos prematuros anteriores, gravidez de múltiplos, malformações fetais, doença materna aguda ou crônica, trombofilia, miomas, colo do útero curto e infecções na mãe. 

 

Há, ainda, os fatores obstétricos, como malformações uterinas, placenta prévia e descolamento prematuro da placenta. A pré-eclâmpsia (aumento da pressão arterial na gravidez), o tabagismo e o diabetes gestacional também são fatores de risco.

 

  • Algumas características são comuns aos bebês prematuros

Normalmente, os bebês prematuros apresentam baixo peso. Eles também costumam ter pele fina e lisa, pouco cabelo, orelhas molinhas e planta dos pés fina e com poucos sulcos. 

 

É comum que fiquem a maior parte do tempo com os olhos fechados e tenham reflexos mais lentos. Com o acompanhamento médico, o bebê vai ganhar peso, crescer e se desenvolver ao longo das semanas. 

 

  • Eles têm a idade cronológica e a idade corrigida

A idade cronológica é a idade real da criança, ou seja, o tempo de vida dela após o nascimento. Já a idade corrigida é ajustada ao grau de prematuridade do bebê comparada a de um bebê a termo (40 semanas), ou seja, quanto tempo ele teria se tivesse nascido na data prevista do parto. 

 

A idade de todo prematuro deve ser corrigida, uma vez que o desenvolvimento pode ser diferente do padrão típico de crianças nascidas a termo que tenham a mesma idade cronológica. A maioria dos bebês prematuros recupera essa diferença no desenvolvimento até o segundo ou terceiro ano de vida. 

 

  • Há exames específicos a serem feitos 

Dependendo da idade gestacional de nascimento, da evolução do recém-nascido e da sua condição clínica, são solicitados alguns exames de acordo com a presença de problemas específicos da prematuridade. 

 

  • É importante seguir o calendário de vacinas

As vacinas costumam ser dadas de acordo com a idade cronológica, como qualquer outra criança, mas existem algumas particularidades. A BCG e a vacina de hepatite B, por exemplo, têm um esquema específico. Por isso, o pediatra deve orientar os pais quanto ao calendário de vacinação do prematuro.

 

  • Os prematuros podem apresentar complicações

Quanto mais prematuro for o bebê, mais imaturos são seus órgãos e maior é o risco de complicações. Os nascidos antes de 34 semanas de gestação, por exemplo, podem apresentar dificuldade para manter a temperatura, para respirar e para se alimentar. 

 

  • O período de adaptação é fundamental aos bebês prematuros

Normalmente, o bebê prematuro só tem alta quando a mãe ou o cuidador já está habituado com a rotina dele na UTI ou no berçário. Portanto, terá orientações em relação a horários de medicações e de mamadas, controle da temperatura, manutenção do contato com a pele, entre outras.

 

Também é essencial saber reconhecer quando o bebê não está bem, principalmente diante de engasgos com leite, febre ou hipotermia, convulsões, falta de urina, se fica ofegante durante a mamada, se fica mole ou se reage pouco a estímulos.

 

Vale reforçar que as consultas com o pediatra são fundamentais e, no início, mais frequentes. O acompanhamento com outros profissionais também pode se fazer necessário. 

 

Diante dessas informações sobre os bebês prematuros, agora você pode ajudar outras pessoas a terem esse conhecimento também. Compartilhe esse post em suas redes sociais para que outras pessoas possam se informar!

 

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade