18/10/2021

7 coisas que você precisa saber sobre obesidade

No Brasil, 11 de outubro foi instituído por lei como o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade chamando atenção para essa doença crônica que afeta um número elevado de pessoas em todo o mundo. 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, no país, uma em cada quatro pessoas acima de 18 anos estava obesa, ou seja, 41 milhões de pessoas.

A obesidade é caracterizada pelo acúmulo de gordura no corpo causado quase sempre por um consumo excessivo de calorias na alimentação, superior ao valor usado para a manutenção do organismo e a realização das atividades do dia a dia.

Resumidamente, a obesidade acontece quando a ingestão alimentar é maior que o gasto energético correspondente. Quer saber mais sobre esse assunto? Continue a leitura que a seguir estão 7 coisas que você precisa saber sobre obesidade.

  • Há um cálculo para o diagnóstico da doença

A obesidade é diagnosticada através do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). Para ter esse número, é preciso dividir o peso (em Kg) pela altura (em metros) elevada ao quadrado. O padrão da Organização Mundial da Saúde (OMS) indica peso normal quando o resultado fica entre 18,5 e 24,9 kg/m2, sobrepeso quando o resultado está entre 25,0 e 29,9 kg/m2, e obesidade acima desse valor.

 

  • A obesidade tem três níveis de classificação

Dentro dos parâmetros de obesidade, existe uma classificação que é importante na escolha do tipo de tratamento. A classe 1 ou obesidade leve compreende o IMC entre 30 e 34,9 kg/m2.  A classe 2  ou obesidade moderada abrange o IMC entre 35 e 39,9 kg/m2. A classe 3, que define a obesidade como grave ou mórbida, refere-se ao IMC superior a 40 kg/m2.

 

  • São muitas as causas da obesidade

Os maus hábitos alimentares e o sedentarismo podem proporcionar o desenvolvimento da doença, principalmente em pessoas predispostas geneticamente. Algumas disfunções endócrinas, alterações hormonais e distúrbios emocionais também podem levar à obesidade. 

 

  • Hábitos saudáveis são essenciais na prevenção

Para prevenir a doença, é importante se conscientizar sobre duas medidas essenciais: a prática de atividade física e a adoção de uma alimentação adequada. O estilo de vida sedentário, as refeições com poucos vegetais e frutas, além do excesso de alimentos ricos em gordura e açúcar contribuem para o aumento do número de obesos, em todas as faixas etárias.

 

  • A obesidade pode causar outras doenças e até levar à morte

De acordo com a OMS, a obesidade é a quinta maior causa de morte no mundo. A doença também é a causa de diversas complicações. A pessoa obesa fica mais propensa a desenvolver problemas como hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, além de problemas físicos como artrose, pedra na vesícula, artrite, cansaço, refluxo, tumores de intestino e de vesícula.

 

  • Os problemas vão além da saúde física

Além das consequências físicas, a obesidade tem efeitos psicológicos negativos. As principais implicações  podem incluir depressão, imagem corporal prejudicada, baixa autoestima, transtornos alimentares, estresse e baixa qualidade de vida.

 

  • A saúde sexual também pode ser afetada

A obesidade também pode interferir no relacionamento sexual. A doença está ligada à redução da testosterona, o que pode acarretar a redução de libido e a problemas de ereção nos homens. As mulheres podem apresentar aumento de pelos, irregularidade menstrual e infertilidade. 

 

Você já tinha essas informações sobre a obesidade? Conhece alguém que esteja enfrentando a doença? Compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais! Ele pode ajudar outras pessoas a conhecer melhor a doença e começar desde já a preveni-la.

 

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade