10/11/2021

Tudo sobre o câncer bucal

Alimentação equilibrada, privação de fumo, consumo moderado de bebidas alcoólicas, boa higiene oral e outras atitudes saudáveis diminuem as chances de desenvolver a maioria das doenças malignas, inclusive os tumores na boca, que são os mais comuns tipos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil. 

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a prevenção possa ajudar a reduzir a incidência de câncer em 25% até 2025. Seguindo o ritmo atual, a estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) é de mais de 15 mil novos casos anuais de câncer bucal, alcançando mais de seis mil mortes ao ano.

 

câncer de boca afeta os lábios e o interior da cavidade oral. Dentro da boca devem ser observados gengivas, bochechas, céu da boca, língua e a região embaixo da língua. É mais comum em homens acima dos 40 anos e a maioria dos casos é diagnosticada em estágios avançados.

Com o objetivo de estimular ações preventivas e campanhas educativas relacionadas ao câncer bucal e promover debates e outros eventos sobre as políticas públicas de atenção integral aos portadores da doença, a primeira semana de novembro foi instituída, desde 2016, como a Semana Nacional de Prevenção do Câncer de Boca.

Esse assunto interessa para você? Saiba como prevenir, quais são os sintomas, como obter o diagnóstico e quais são os tratamentos para o câncer bucal acompanhando o conteúdo a seguir.

 

Como prevenir o câncer de boca?

O câncer de boca pode ser prevenido por meio de hábitos saudáveis, como não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas, manter o peso corporal dentro da normalidade, manter boa higiene bucal e usar preservativo na prática do sexo oral. A visita periódica ao dentista favorece o diagnóstico precoce do câncer de boca, porque é possível identificar lesões suspeitas.

 

Quais são os principais fatores de risco da doença?

Além do tabagismo e do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, já mencionados, o excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de boca. A exposição ao sol sem proteção representa risco importante para o câncer de lábios. A infecção pelo vírus HPV também está relacionada a alguns casos de câncer de orofaringe.

Profissionais que atuam em contato direto com poeira de couro, de cimento, de cereais, amianto, fuligem de carvão, solventes orgânicos e agrotóxicos, entre outras substâncias, podem apresentar risco aumentado de desenvolvimento da doença.

 

Quais os sintomas do câncer de boca?

Os principais sinais que devem ser observados são: lesões na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias; manchas e placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca e bochecha; nódulos no pescoço; e rouquidão persistente. Nos casos mais avançados, também são observados dificuldade de mastigação e de engolir; dificuldade na fala e sensação de que há algo preso na garganta.

 

Diante desses sinais, o que deve ser feito?

Nesses casos, deve-se procurar logo a unidade de saúde para exame da boca por um dentista ou médico. Quando uma lesão suspeita é identificada, a biópsia deve ser realizada para avaliação. Se confirmado o câncer, o paciente é encaminhado para tratamento especializado.

 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico pode ser feito com o exame clínico, mas a confirmação depende da biópsia. Alguns exames de imagem, como a tomografia computadorizada, também auxiliam no diagnóstico, e, principalmente, ajudam a avaliar a extensão do tumor. 

 

De que forma é definido o tratamento?

Na maioria das vezes, o tratamento é cirúrgico. A radioterapia e a quimioterapia são indicadas quando a cirurgia não é possível ou quando o tratamento cirúrgico pode trazer sequelas funcionais importantes e complicadas para a reabilitação funcional e a qualidade de vida do paciente.

 

A boa notícia é que, se diagnosticado no início e tratado da maneira adequada, 80% dos casos desse tipo de câncer têm cura.


Você já tinha essas informações? Pois agora que você sabe como se proteger do câncer bucal e o que fazer diante dos sintomas, não guarde esse conhecimento só para você. Compartilhe esse conteúdo para que outras pessoas também saibam tudo sobre o câncer bucal!

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade