07/10/2020

Tudo sobre o Outubro Rosa

Quando chega Outubro, uma importante campanha entra em cena: a luta contra o câncer de mama, o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo.

No Brasil, a estimativa divulgada pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) aponta para 66.820 novos casos de câncer de mama em 2020.

O objetivo principal da campanha é promover a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, o que aumenta significantemente as chances de cura: 95% dos casos identificados em estágio inicial podem ser curados.

Para fazer esse alerta, profissionais de diversas áreas usam o laço rosa que simboliza a campanha e prédios públicos e privados ganham iluminação cor de rosa para impulsionar essa luta.

A seguir, contaremos mais sobre o surgimento, a atuação e a importância dessa campanha que ganhou o mundo todo. Continue acompanhando as informações.

O que é a campanha?

O Outubro Rosa começou em 1990, com uma ação organizada pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, em Nova Iorque. Sobreviventes do câncer de mama promoveram uma corrida e os participantes ganhavam um laço rosa.

Sete anos depois, o movimento ganhou força com atividades que promoviam o diagnóstico e a prevenção do câncer de mama em Lodi e Yuba, também nos Estados Unidos. Assim, outubro foi oficializado como o mês para as ações em favor dessa luta.

No Brasil, a primeira iniciativa marcante aconteceu em 2002, em São Paulo, com a iluminação cor de rosa do Obelisco do Ibirapuera, representando apoio à causa. Ano após ano, o governo e a sociedade passaram a se envolver cada vez mais com a campanha.

Qual é o objetivo?

O principal objetivo do movimento é compartilhar informações sobre o câncer de mama e, mais recentemente, sobre o câncer no colo do útero também. Desta forma, visa intensificar a prevenção e o diagnóstico precoce dessas doenças.

Com o diagnóstico precoce, é possível promover um tratamento mais eficaz e impedir que o câncer se espalhe para outros órgãos. Por isso que quanto antes os exames forem realizados, maiores são as chances de cura.

Quais são as principais recomendações?

Assim como em todas as enfermidades, o diagnóstico precoce é essencial para o sucesso do tratamento. A mamografia é o principal método para o rastreamento da doença. Por isso, mulheres com idades entre 40 e 69 anos precisam fazer esse exame pelo menos uma vez ao ano.

Para quem tem histórico familiar da doença, é importante fazer um acompanhamento mais próximo e frequente. Além disso, fumantes e alcoólatras são mais propensas ao desenvolvimento de câncer, já que as toxinas do cigarro e a ação do álcool no organismo favorecem a formação de tumores.

Por questões hormonais, a menstruação precoce e a gestação tardia também são fatores que aumentam o risco do câncer de mama.

Como identificar o câncer de mama?

Muitas mulheres identificam por meio do autoexame ou pelo surgimento de sinais como os caroços nos seios. Algumas apresentam alterações na pele da mama ou sinais no mamilo. Pode, ainda, ocorrer presença de pequenos nódulos na região do pescoço e nas axilas.

Perceber esses sinais é muito importante na busca de diagnóstico precoce e na definição do tratamento mais adequado, caso se confirme a doença. Por isso, fazer consultas ginecológicas periódicas é a forma mais segura de prevenir a doença.

O que fazer em caso de diagnóstico positivo? 

A confirmação diagnóstica é feita por exames como mamografia, ressonância magnética e ultrassonografia. Os casos suspeitos são confirmados por biópsia, um exame que retira um fragmento de tecido da mama para investigar as células.

Para os casos confirmados, as formas de tratamento evoluíram e os procedimentos estão cada vez mais humanizados. As cirurgias para retirada do tumor, hoje, são feitas em uma ação local, sem afetar outras partes do corpo.

O tratamento também pode incluir radioterapia e/ou quimioterapia, além de uma abordagem multidisciplinar, que inclui atendimento psicológico para apoio emocional.

Agora que você já sabe a importância do autoexame, das visitas regulares ao ginecologista e da adoção de um estilo de vida saudável, que tal compartilhar essas informações com outras pessoas? Elas são essenciais para o controle dessa doença. Faça parte você também do Outubro Rosa!

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade