19/08/2020

Tudo sobre exames de diagnóstico com sedação

Muita gente já ouviu falar em sedação nos exames de diagnóstico, mas não sabe exatamente quando esse procedimento é indicado. Também surgem dúvidas em relação à segurança da sedação.

Para responder a esses questionamentos, contamos, neste conteúdo, tudo sobre os exames de diagnóstico com sedação. Quanto mais informação o paciente tem, mais seguro ele fica para se submeter a determinados procedimentos.

Indicações

Primeiro, cabe explicar que a sedação é indicada para exames longos, como a ressonância magnética, que leva cerca de 40 minutos, ou aqueles que são realizados em equipamentos fechados, como a tomografia, por exemplo.

Durante a realização desses exames, é preciso que o paciente não se mexa, caso contrário, a imagem pode ficar ruim e borrada, o que afeta diretamente o resultado do exame e também pode atrasar o diagnóstico. A sedação evita que o paciente se movimente.

No caso de pacientes claustrofóbicos, a necessidade de ficar dentro do equipamento que realiza os exames pode desencadear em uma crise, por isso, é necessário que ele esteja desacordado durante o exame. Então, cabe a indicação de sedação.

Bebês e crianças também têm dificuldade de ficarem imóveis durante o exame. Por isso, recomenda-se que eles sejam sedados ou que os pais os deixem acordados por várias horas antes de realizar o exame. Assim, o ambiente pode favorecer a sonolência e eles permanecem dormindo durante a ação.

O procedimento é recomendado, ainda, para pacientes que têm dificuldades de ficarem imóveis ou que sentem dor durante a realização do exame por conta do tempo que precisam ficar em uma mesma posição.

Formas de fazer

A sedação em exames de imagem pode ser feita de forma de três formas: intravenosa (injetada nas veias), oral (ingerida pela boca) ou inalatória (aspirada por aerossol). A mais comum é a intravenosa, porque o organismo absorve de forma mais rápida o sedativo.

Segurança

Esse procedimento é totalmente seguro porque é feito pelo profissional anestesista que realiza o procedimento de forma rápida e indolor. O efeito vem em poucos minutos e dura o tempo necessário para o exame ser realizado.

Além disso, o paciente é monitorado a todo momento. Os profissionais ficam atentos a todos os sinais vitais durante o exame e após sua realização também, quando vai passando o efeito do sedativo. Isso garante a segurança do paciente e o resultado satisfatório da imagem do diagnóstico.

Cuidados

Sempre que é agendado um exame de imagem, o paciente é informado sobre todos os detalhes e também sobre os preparos necessários. Um desses cuidados é o jejum antes do exame e outra indicação é a necessidade de levar um acompanhante para ajudar o paciente na locomoção após a realização do exame.

Fora isso, basta confiar tanto no anestesista, caso a sedação seja necessária, quanto no radiologista, o especialista que interpreta os resultados dos exames, e manter a tranquilidade para fazer o procedimento.

Agora que você já sabe mais sobre a sedação nos exames de diagnóstico, pode optar por ela sem medo, se for necessário.

 

Você também pode ajudar outras pessoas com essas informações. Compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais!

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade