09/02/2021

Mitos e verdades sobre a mamografia

O Dia Nacional da Mamografia, celebrado em 5 de fevereiro, foi instituído com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do exame que detecta alterações na mama.

A mamografia é uma radiografia do tecido mamário, feita por um equipamento de raio-X chamado mamógrafo, capaz de identificar lesões nos estágios iniciais, em particular o câncer em estágio precoce, antes de se tornar palpável.

Na mamografia, podem se encontrados pequenos nódulos, com tamanho de um milímetro, até três anos antes da pessoa senti-los. A detecção e o diagnóstico precoce de um câncer de mama podem diminuir as chances de morte da paciente em torno de 70%.

Por isso, a campanha e o exame são tão importantes. Mesmo diante da ampla abordagem do assunto e do incentivo à mamografia, ainda existem muitas dúvidas. Então, a seguir, destacamos alguns mitos e verdades relacionados à mamografia.

Mulheres a partir dos 40 anos devem fazer mamografia anualmente: verdade

O câncer de mama ocorre com mais frequência nas mulheres a partir dos 40 anos, por isso, a realização do exame periódico nessa faixa etária é indispensável. Mulheres que têm fatores de risco para o câncer podem começar a fazer o exame mais cedo, a partir dos 35 anos. As mais jovens podem prevenir o câncer de mama realizando outros exames, de acordo com orientação médica.

O exame pode ser dolorido: verdade

Para fazer o exame, é preciso comprimir a mama, o que causa dor em algumas pacientes. Porém, nem todas sentem esse desconforto, pois depende da sensibilidade individual. De qualquer forma, a dor é tolerável e o exame é breve.

Mulheres com silicone não podem fazer mamografia: mito

O silicone não prejudica o exame, nem o exame causa danos à prótese. A paciente deve apenas informar ao médico e ao profissional que realiza o procedimento para que ele posicione adequadamente as mamas no aparelho e, assim, as imagens sejam captadas da melhor forma possível.

O ultrassom da mama também pode detectar nódulos e tumores: verdade

O ultrassom não é um exame obrigatório no rastreamento, mas pode ser usado para o diagnóstico em casos de suspeita médica. Além dele, a ressonância magnética das mamas também pode ser usada em casos mais específicos, como em rastreamento do tumor e avaliação da mama em pessoas que já tiveram câncer.

A radiação da mamografia prejudica a saúde: mito

O aparelho de raio-X utilizado na mamografia emite radiação, mas ela não é perigosa se realizada conforme as orientações médicas e com controle de qualidade adequado. Assim, o risco associado à exposição da radiação é mínimo, principalmente quando comparado com o benefício que pode ser obtido.

É possível fazer a mamografia menstruada: verdade

A menstruação não é um impeditivo para o exame, mas é recomendado evitar a semana que antecede esse período porque a mama fica mais inchada e isso pode acentuar a dor.

O autoexame substitui a mamografia: mito

O autoexame das mamas deve fazer parte da rotina das mulheres e é apenas o primeiro passo para prevenir o câncer de mama. Caso perceba algum cisto ou nódulo, o passo seguinte é procurar um mastologista ou ginecologista para fazer um exame clínico e investigar detalhadamente.

Mamas densas podem exigir outros exames: verdade

A mamografia pode não ser tão eficaz na detecção de nódulos ou lesões cancerosas em mamas densas, mas também não é inútil. Se a mamografia não está clara em função das mamas densas, poderá ser feito um segundo exame de imagem, por exemplo, ultrassom ou tomossíntese.

A mamografia é um exame caro: mito

O exame pode ser feito gratuitamente pelo SUS e, atualmente, é coberto obrigatoriamente por todos os convênios e planos de saúde.

Homens também podem fazer mamografia: verdade

Os homens também podem precisar fazer esse exame, mas ele só é solicitado quando o paciente apresenta alguma queixa, como um nódulo. Por ser uma doença rara nos homens, não existe a necessidade de rastreamento.

Agora que você tem mais informações sobre a mamografia, já sabe que o exame é extremamente importante. Compartilhe essas informações nas suas redes sociais para que outras pessoas também se conscientizem disso!

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Twitter
Newsletter
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine a nossa newsletter para promoções especiais e atualizações interessantes.


    Política de privacidade